Manufatura: Entenda o que é e os tipos

Historicamente, o conceito de manufatura surgiria no período pré-Revolução Industrial e seria desenvolvido com o surgimento da indústria nas três gerações desse tipo de revolução.

Tipo de manufatura automatizada

Na atualidade, o conceito tornou-se mais abrangente e não significando apenas produção direta, mas um conjunto de esforços humanos, tecnológicos e planejados para a criação e disponibilização de produtos e serviços para o mercado.

Nos processos atuais, temos conceitos de processo de manufatura, manufatura repetitiva, manufatura discreta, processos de projeto, manufatura por oficinas, manufatura por oficinas, manufatura contínua, manufatura aditiva, além das características de manufatura aditiva que merecem ser estudadas.

Em pleno início do século XXI, estamos nas portas da indústria 4.0 ou quarta Revolução Industrial que, com o aprofundamento da tecnologia da inteligência artificial e da biotecnologia, pretende colocar o mundo e os seus mercados em novo patamar de produção e de atenção às demandas dos clientes.

Neste artigo, falaremos sobre os conceitos básicos, elementares e técnicos para a aplicação de ferramentas oportunas que visam a identificação de métodos produtivos mais certos para cada tipo de projeto.

O que é Manufatura?

Em seu conceito básico, essa palavra é proveniente de “manu” que significa “mão” e “factura” que se refere ao objeto feito.

Tem origem na língua latina e trata-se de um termo presente nas línguas neolatinas como o português. Em seu significado direto significa “fazer algo com as mãos”.

Em nível socioeconômico, também abrange uma variedade de atividades dos seres humanos que pretende transformar ou produzir produtos para resolver problemas e demandas da massa consumidora.

Para alguns historiadores, ela teria sido iniciada ainda no período pré-Revolução Industrial com o aperfeiçoamento do artesanato, porém o seu termo e conceito produtivo é mais aplicado no desenvolvimento da área industrial dos tempos atuais.

A indústria, nos últimos três séculos envolve a produção de grande escala a matéria-prima para ser transformada em produto. Dessa forma, quando falamos em “manufatura” estamos falando em processos de transformação.

Tivemos, portanto, uma mudança de conceito que elevou a classificação das diferentes indústrias e os seus processos de produção de bens de produção e de consumo.

No contexto da Revolução Industrial

Esse evento histórico marca uma profunda divisão na organização do trabalho, na geração de novas tecnologias aplicadas para o trabalho e produção, e inicia um processo de reorientação social.

Também culminou na formação de novos mercados e de novas demandas sendo reconhecida como um dos divisores de água na humanidade atual.

Como consequência, gerou abertura de novos postos de trabalho e a substituição do trabalho manual em série dos artesãos pela produção padronizada das máquinas, processo referido como maquinofatura.

A inserção das máquinas faria a “roda” econômica e mercadológica girar mais rápido, inicialmente, para a indústria do carvão, indústria têxtil e outros setores produtivos.

Evolução do conceito

Posteriormente, entre os séculos XVIII e XX teríamos o desenvolvimento da segunda e terceira revolução industrial e os avanços técnicos e tecnológicos inseridos nos processos produtivos.

Dentre os principais pontos de evolução, além do aperfeiçoamento das máquinas, devemos apontar a surgimento de metodologias que buscam acelerar e reorganizar os processos como o Fordismo e o Taylorismo.

No decorrer do século XX, o Toyotismo e o Lean Manufacturing se tornaram em metodologias cada vez mais comuns para produção de produtos, serviços e para a melhoria de processos.

Inicialmente, a produção feita por intermédio de máquinas e metodologias cada vez mais avançadas começaria com a produção em massa, padronizada e organizada através da divisão de trabalho.

Nos dias atuais, temos outros métodos que abordam a produção sob demanda, a identificação de necessidades de mercado e a criação de estratégias produtivas focadas na melhoria contínua e no cliente.

Tipos de Manufatura

A seguir falaremos sobre os diferentes modelos de manufatura existentes atualmente. No mundo atual, contamos com diferentes perfis de métodos produtivos sendo aperfeiçoado a partir de sistemas anteriores. A seguir vamos apresentar alguns tipos mais citados.

Manufatura Enxuta

A manufatura enxuta é proveniente do Lean Manufacturing (produção enxuta) que utiliza diferentes abordagens em prol da melhoria contínua. Essa filosofia surgiria depois da Segunda Guerra Mundial, quando o fundador da Toyota Company aplicou soluções para reduzir desperdícios e gerar melhoria contínua.

Na Toyota tivemos o aperfeiçoamento dos métodos do Fordismo com as novas abordagens da Toyota com o sistema Just In Time.

Com a aplicação da produção enxuta, o Toyotismo formaria e incentivaria suas equipes para fazer parte de todos os processos com a adição de círculos de qualidade e aplicação de soluções para melhoria do local de trabalho.

Dessa forma, as equipes realizaram apresentações para a gerência com relação à qualidade da produção, essa prática geraria o Seis Sigma para melhorar a qualidade.

Diferente do fordismo, a Toyota desenvolve a fabricação de produtos em quantidade menor em conjunto de processos que reduzem o tempo da troca de ferramentas nas máquinas.

Posteriormente, o método da Toyota seria aplicado por outras empresas do Japão e do restante do mundo como a Fabricação de Fluxo Contínuo (CFM), Fabricação de Classe Mundial (WCM) e Produção Sem Estoque.

Manufatura reversa

Com a adoção da internet e da tecnologia digital, o fluxo produtivo reverso se tornou uma necessidade, considerando a crescente quantidade de sucatas e suprimentos descartados pela produção e consumo de massa.

Considerando a necessidade de reciclagem de materiais, de recuperação de ativos e a crescente preocupação ambiental (para a redução do lixo industrial e de produtos) temos a produção reversa como uma importante inovação que ajuda a recuperar parte da matéria-prima ainda presente no lixo eletrônico e em outros tipos de resíduos.

Sendo assim, partes de produtos digitais, eletroeletrônicos e linha branca como refrigeradores podem ser reaproveitados para serem aproveitados em processos de seleção, desmontagem, trituração, compactação e reaproveitamento de insumos já descartados como matéria-prima reutilizada ou reciclada.

Manufatura aditiva

Esse tipo de produção também é referida como impressão 3D. Máquinas que imprimem em três dimensões podem oferecer a produção e reprodução rápida de ferramentas, utensílios e qualquer tipo de objetivo em curto espaço de tempo e economizando matéria-prima.

Um exemplo de manufatura aditiva( impressão 3D)

Esse tipo de impressão possibilita reduzir desperdícios, economizar tempo e dinheiro. Imagine replicar partes de peças, componentes de instalação e imprimir objetos inteiros através de uma impressora sem a necessidade de uma complexa linha de montagem.

É indicada como uma área de muito potencial por ser inovadora e por ajudar a reduzir desperdícios com aplicação de melhoria, qualidades que se encontram com a filosofia Lean.

Trata-se de uma tecnologia de alto envolvimento, mas que tem se tornado cada vez mais acessível para pequenas empresas e micro negócios.

Dentre as suas principais características, podemos citar:

Custos

Reduz custos propiciando que as peças sejam produzidas em pequenas unidades a partir de um único exemplar com baixo custo.

Complexidade

Lida com objetos e peças criadas a partir de variadas formas e geometrias e sua fabricação;

Rapidez

Considerando o projeto, este é todo digital e permite eficiência ao imprimir o modelo físico com prototipagem rápida;

Sustentabilidade

É sustentável, pois o volume da matéria-prima a ser utilizado é exato e não variável com baixo desperdício.

Customização

Cada produto planejado e impresso pode ser moldável e adaptado para cada tipo de necessidade ou escolha.

Manufatura Repetitiva

Também conhecida como produção em massa, está relacionada com o processamento repetitivo aplicado para a produção, tendo como características o uso de altos volumes de produtos com baixa variedade.

Considera a crescente demanda do mercado e a eficiência operacional, sendo muito usada por empresas que implementam linhas de produção que precisam produzir linhas de produtos em grande quantidade.

São produtos fabricados ano após ano sem pausas para atender a demanda crescente ou consolidada no mercado. Está envolvida com processos repetitivos tendo operações ajustadas conforme as demandas de cada tipo de produto.

As empresas que usam esse modelo produtivo são corporações e fábricas que usam processos altamente padronizados, com baixa variedade e produtos de médio e alto envolvimento.

Manufatura Discreta (Processos de Projetos)

Quando falamos em processos de projetos, nos referimos a esse tipo de produção. Esse modelo envolve produtos customizados tendo como característica os baixos volumes de produção.

O processamento discreto está ligado a um ambiente diversificado focado na produção de um produto único ou dois projetos concomitantes.

Também envolve a aplicação de processo de linha de produção, podendo requerer configurações de ferramentas e trocas frequentes em longo tempo de fabricação.

Como exemplo, podemos citar a indústria naval, automóveis, ferramentas e armamentos para a guerra e entre outros produtos de altíssimo envolvimento.

Manufatura por Oficinas

Estamos nos referindo a um processo que abrange a variedade de produtos personalizados. Grande parte dos produtos são fabricados em fluxo e programação cujo sistema pode exigir determinado tipo de configuração específica.

Em boa parte dos casos, as oficinas de trabalho podem produzir peças a serem personalizadas para outras empresas. Existem oficinas de máquinas-ferramenta, pintura, gráfica, de produtos personalizados e entre outras possibilidades.

Atualmente, as instalações mais avançadas permitem a fabricação de produtos em lotes por meio de processo repetitivo e com tecnologia automatizada de produção.

Manufatura Contínua

O processo contínuo está incluso nos processos de produção em massa pelo fato de operarem com volumes ainda maiores, porém com baixa variedade.

Preza pela produção em grande escala e padronizada com fluxos mais rígidos. Costumam funcionar diariamente, 24 horas por dia e sete dias por semana abrangendo materiais de grande porte ou granulares.  

Manufatura por lote

A produção por lote pode ser considerada similar ao do processo de oficinas e manufatura discreta com alto volume com variedade moderada.

Cada lote produzido é analisado para aplicação de alterações para o processo de criação do produto.

Mais de um lote pode ser produzido tendo como base requisitos iniciais, sendo importante ressaltar que cada tipo de processo contínuo em lote pode ser aumentado quando as matérias-primas não podem ser fabricadas segundo um padrão estrito ou esperado.

Esse tipo de produção é muito usado quando os tempos da configuração dos equipamentos é alto sem compensar a troca do equipamento para produção de poucas unidades.

O que é engenharia de manufatura?

Depois de conhecer os principais modelos de produção, devemos lembrar que todos dependem de projetos e de engenharia de produção.

Essa área da engenharia costuma exigir educação e experiência necessárias para entender e aplicar os procedimentos de engenharia para realização e melhoria dos processos produtivos.

Geralmente, costuma exigir também planejamento para cada prática de fabricação, incluindo as tarefas de pesquisa, seleção ou desenvolvimento de ferramentas, adição de processos, instalação de máquinas e integração de sistemas produtivos.

A grande preocupação é aproveitar da melhor forma o capital financeiro, o capital intelectual, o capital humano e todas as possibilidades para fomentar a melhor linha produtiva possível.

É uma área da engenharia que se especializa em trabalhar com a cadeia de processos de transformação de matérias-primas em produtos finais. 

Benefícios para a produção

Cada tipo de projeto ou perfil de produto pode exigir um determinado tipo de manufatura para otimizar recursos e ajudar a empresa a alcançar seus objetivos.

Além da localização geográfica do ponto de produção, os métodos de produção e fabricação selecionados podem ser utilizados para a criação de mercadorias com diferentes níveis de qualidade, combinações técnicas e resultados.

O processo produtivo

Quando citamos o termo “processo produtivo” como sinônimo de modelos de manufaturas, devemos lembrar que o processo produtivo se refere ao conjunto de métodos pelos quais a empresa pode estabelecer os meios certos para a produção de produtos finais para seus clientes.

Deve considerar fatores como a demanda do consumidor, a técnica de fabricação de como um produto final é concluído.

Cada tipo de processo pode ser diferente ou similar tendo grandes vantagens para a qualidade, para o fluxo produto e para a empresa.

Conclusão

Portanto, neste artigo apresentamos os principais tipos de manufatura para compreendermos os melhores caminhos e processos produtivos para empresas de diferentes segmentos de mercado.

Atualmente, as empresas fabricantes buscam reduzir custos de tempo e de capital na busca de maior nível de respostas e de resultados para seus produtos, projetos, clientes e mercados.

Confira: Saiba mais sobre manufatura em nosso Treinamento Black Belt!!

Comente

Seu endereço de e-mail não será publicado.