Demonstração do Resultado do Exercício: Entenda o que é e como fazer

A aplicação do DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) é uma oportunidade para gestores e empreendedores de diferentes níveis que precisam descrever os processos de trabalho para orientar a tomada de decisão.

Pessoa calculando um DRE

Geralmente, a tomada de decisão depende de vários fatores interligados com o custo, o cenário interno e externo da corporação.

No mercado atual, os empreendedores que buscam alcançar o sucesso procuram por inovações para atualizar sistemas de gerenciamento e a organização de novos projetos.

A utilização de descrições e demonstrações ajudam nesse tipo de missão, podendo incorporar métodos de identificação de resultados, informações e orientações finais em relação a um projeto.

Neste artigo vamos apresentar o conceito dessa ferramenta de gerenciamento que é considerada indispensável para os mercados atuais.

Saiba mais: Quais são os benefícios e como fazer uma Gestão Financeira

O que é DRE – Demonstração do Resultado do Exercício?

Normalmente, essa ferramenta é conhecida como uma demonstração contábil com aplicação para os setores de administração e gestão de uma empresa.

A utilização de demonstrações contábeis e de administração é muito indicada para visualizar o estado financeiro da empresa.

A sua principal finalidade é permitir a visualização de informações relativas aos ativos e patrimônios da instituição, além da condição financeira, o desempenho do caixa e todo o processo gestor da empresa.

A DRE é uma demonstração contábil. As demonstrações contábeis servem para visualizar o estado financeiro da organização. Sua finalidade é viabilizar informações relativas ao seu patrimônio, condição financeira, desempenho do caixa e ainda ajudar na gestão da empresa.

Essa ferramenta ajuda a apresentar o resultado econômico em um período estipulado, conseguindo confrontar dados de receitas, despesas e resultados apurados, ampliando a visão a respeito do lucro bruto obtido pela instituição em determinado período.

Qual é a real uso da ferramenta?

Trata-se de uma ferramenta indispensável no processo gestor da empresa e demais tipos de instituições públicas e privadas.

Ressaltamos que todas as corporações e seus relacionamentos com o mercado geram muita informação, a organização e descrição dessas informações ,com o uso dessa ferramenta, profissionaliza o processo de planejamento e de apresentação de dados para todos os interessados.

Essa ferramenta consegue apresentar resumo financeiro dos resultados operacionais e não operacionais da empresa. Porém, a legislação vigente no Brasil determina que o DRE, como documento, seja realizado e expedido pelo menos uma vez ao ano.

Por outro lado, a equipe de gestão pode emitir e apresentar esse documento mensalmente para compor as práticas administrativas.

A emissão desse documento envolve a gestão financeira, conhecimento sobre as orientações do Conselho Regional de Contabilidade, Estrutura para Demonstração do Resultado do Exercício, CPC (Custo do Produto Vendido), CMV (Custo da Mercadoria Vendida).

Benefícios iniciais de realizar a análise

O uso dessa ferramenta de demonstrações de custos e resultados obtidos melhora o processo de avaliação geral do desempenho da organização, ajuda diferentes gestores que atuam em várias áreas a terem informações aprofundadas sobre os resultados da empresa.

É considerado um instrumento de muita utilidade para o dia a dia da empresa, proporcionando uma atuação integrada e coordenada em benefício para a empresa.

Qual a importância dessa ferramenta?

Estamos falando de uma ferramenta contábil que ajuda a verificar as forças financeiras da empresa e a margem esperada de lucro. Em muitos casos, pode também apresentar o nível de prejuízo que a empresa poderá sofrer em determinado período.

Portanto, essas demonstrações ajudam no processo de controle de financeiro, orientam na tomada de decisões e incentiva os gestores a realizarem previsões mais realistas para identificar a viabilidade econômica acerca de investimentos e oportunidades.

A prática

Na prática, o DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) é considerado também como um relatório contábil de extrema importância para a corporação.

Pode ser usado em conjunto com o Balanço Patrimonial e a Demonstração de Fluxo de Caixa, sendo o DRE o terceiro tipo de relatório ou ferramenta contábil mais importante para o processo gestor.

Em conjunto, os três oferecem completa avaliação sobre a força financeira da empresa e possibilitam a elaboração de planos e projetos para o futuro.

Em comparação com os outros tipos de relatórios, o DRE costuma ser mais detalhado e intuitivo permitindo o gestor ter acesso a elementos para a tomada de decisão com planejamento a respeito das questões tributárias, mas com visão estratégica. Por outro lado, é essencial saber como elaborar a construção de uma DRE eficiente.

Como fazer a DRE?

Ao conhecer a importância dessa ferramenta e sua utilidade para diferentes tipos de empreendimento, é importante aprendermos os principais passos para a sua construção.

1 – Monte a estrutura

No primeiro passo, para montar a estrutura deste documento, é importante reunir informações referentes aos dados financeiros da organização, abrangendo as receitas, despesas ou custos.

É indicado incluir todas as informações contábeis e gerenciais, priorizando o Regime da Competência com a data correta.

Esse regime de competência deve considerar a receita gerada com as vendas como principal meio de faturamento da instituição no período selecionado com os devidos tópicos:

(-) Deduções e abatimentos;

(=) Receita Líquida;

(-) Custos de Mercadorias Vendidas (CMV);

(=) Lucro Bruto;

(-) Despesas com Vendas;

(-) Despesas Administrativas;

(-) Despesas financeiras;

(=) Resultado antes IRPJ CSLL;

(-) Provisões IRPJ e CSLL;

(=) Resultado Líquido.

Leia mais: Fluxo de Caixa: Conhece sua importância e a relação com o Excel?

2 – Calcule a Receita Líquida

Posteriormente, no segundo passo, é importante calcular a receita líquida, ou seja, o total dos valores obtidos. Sendo assim, calcule da seguinte forma:

Receita líquida = Receita Bruta – Deduções da Receita Bruta.

É importante lembrar que a Receita Bruta é estruturada por Venda de produtos + Venda de mercadorias + Prestações de serviço.

As Deduções da Receita Bruta são estabelecidas pelas Devoluções de Vendas + Abatimentos + Impostos e Contribuições Incidentes sobre Vendas.

3 – Descubra o Resultado Bruto

Nesse processo de elaboração, no terceiro passo é importante descobrir o resultado bruto. Porém, para descobrir esse resultado bruto, é indicado deduzir da Receita líquida o custo das mercadorias e dos serviços vendidos.

Resultado Bruto = Receita Líquida – Custo das Vendas

4 – Obter o Resultado Antes do IR e CSLL

Para calcular o Resultado antes do IR (Imposto de Renda) e CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido), é orientado subtrair do Lucro Bruto todas as despesas operacionais, financeiras, gerais e administrativas. 

Sendo assim, teremos o Resultado antes do IRPJ (Imposto de Renda – Pessoa Jurídica) e CSLL= Resultado Bruto – Gastos Operacionais – Gastos financeiros líquidos – outras receitas e despesas.

5 – Procure conhecer o Lucro Líquido

Para identificar o lucro (ou prejuízo) líquido antes das participações, é indicado subtrair do Resultado antes do IR e CSLL a provisão para IR e CSLL.

Dessa forma teremos o Lucro Líquido = Resultado Antes do IR e CSLL – Provisão para IR e CSLL.

6 – Obtenha o Resultado do Exercício

A partir do resultado, é indicado acrescentar deduzir os resultados não operacionais, considerando as participações de debenturistas, empregados, gestores, partes beneficiárias, entre outros dados.

Sendo assim, temos o Resultado Líquido do Exercício = Lucro Líquido antes das participações – Resultados não operacionais.

7 – Objetivo final

A demonstração deverá ter um objetivo final, quando alcançamos esse objetivo na finalização do documento conseguimos alcançar o LLE (Lucro Líquido do Exercício).

Técnicas de análise

Análises presentes no DRE

O DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) em sua utilização poderá exigir o uso de técnicas de análise.

Esse tipo de demonstração permite analisar processos na direção horizontal e vertical. Através da análise horizontal, é possível compreender o desenvolvimento de ganhos e gastos, gerando um melhor nível de avaliação a respeito de receitas e despesas.

Na análise vertical, podemos fazer comparações de contas conforme cada tipo de grupo de resultados, compreendendo o possível impacto de uma despesa total ou isolada. Nesse estilo, é possível compreender tendências e fazer projeções para a empresa.

Benefícios consolidados de sua utilização

A construção e utilização do DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) ajuda na eficiência na gestão empresarial com o uso de informações que orientam melhor a tomada de decisões.

É importante sempre analisar a força financeira da organização, pois a ausência dessas informações prejudica a percepção da realidade do empreendimento.

Informações fundamentais para o relatório

Como já ressaltamos anteriormente, a construção do DRE implica a construção de um relatório profissional com dados que podem ser incluídos e sempre monitorados. Existem informações que não podem faltar nos relatórios, como as seguintes.

Receitas

São referentes a entrada de dinheiro na empresa, mas não confunda receita com o lucro líquido, pois antes é necessário calcular os custos e despesas para depois calcular o lucro existente na receita.

As receitas podem ser obtidas através de:

– Venda dos produtos;

– Prestação de serviços;

– Recebimento de juros;

– Obtenção de rendimentos de investimentos financeiros;

– Geração de provimentos através de direitos que a empresa possui sobre sua propriedade.

Deduções e abatimentos

As deduções e abatimentos são referentes a descontos realizados sobre a receita obtida.

Eles ocorrem através da incidência de impostos sobre os preços de venda (ICMS para mercadorias e ISS para serviços), descontos oferecidos para os clientes e as devoluções das vendas

Receita líquida

A receita líquida é referente ao resultado total das receitas subtraindo o total das deduções e dos abatimentos.

Custo de vendas

Quando falamos em custos de vendas, devemos ter atenção com os gastos que a empresa produz para manter as atividades e vender os produtos ou prestar serviços.

São custos que podem estar presentes na compra de matéria-prima ou produtos acabados além dos custos logísticos como o frete pago para o fornecedor.

Tipos de custos

O DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) envolve também a análise sobre os seguintes tipos de custos:

– Custo dos produtos vendidos (CPV);

– Custo das mercadorias vendidas (CMV);

– Custo dos serviços prestados (CSP).

Lucro bruto

No final dos cálculos financeiros, temos o lucro depois que subtraímos os custos de vendas da receita líquida.

Despesas administrativas

As despesas fixas são referentes aos gastos para manter a empresa funcionando, independente, das vendas. São despesas ligadas à manutenção direta da instituição como energia elétrica, água, aluguel, telefone, internet, entre outras.

Despesas com as vendas

Referem-se aos gastos com o pós-vendas e pagamento de comissões, por exemplo.

Despesas financeiras

A administração do dinheiro, seja ele o capital de giro, a receita e o financiamento bancário podem incluir pagamento de multas, juros e variações cambiais, gerando despesas financeiras.

Resultado líquido

Depois de analisados e calculados todos os dados anteriores, chegamos no resultado líquido, considerando sempre os abatimentos feitos sobre o lucro bruto. Nesse ponto temos o desempenho da empresa que pode estar no lucro ou no prejuízo.

Organizando as informações

No processo de construção do relatório, é importante registrar todas as informações para, posteriormente, conferir cada dado.

Em muitos casos, se houver algum erro o relatório poderá sofrer com anomalias de informações finais e não conseguir representar a realidade da empresa, gerando orientações equivocadas para novas tomadas de decisão.

Continue lendo: Ponto de Equilíbrio é vital para qualquer tipo de negócio

Formatação do relatório

Na maioria dos casos, a parte visual do DRE pode ser trabalhada também com o uso de colunas em cores para melhorar a visualização dos dados.

Visualmente, o relatório pode ser emitido através de uma planilha colocando nas linhas casa estrutura a ser mencionada e nas colunas os meses do ano.

Posteriormente, o realizado pode inserir cores nas colunas para facilitar a identificação no relatório.

Processo de análise

Ao usar o DRE e concluí-lo é indicado realizar a análise do resultado financeiro da empresa em determinado período de tempo.

É importante que a avaliação seja feita junto com o balanço patrimonial e demais balanços.

Conclusão

O DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) deve ser apresentado, anualmente, após o encerramento das atividades da empresa considerando todas as informações e cálculos que ressaltamos neste artigo.

Muitas empresas podem realizar DREs trimestralmente, e até mesmo mensalmente.

O principal objetivo é resumir as informações contábeis e financeiras da empresa e organizar o relatório a ser entregue aos órgãos competentes conforme a lei.

Comente

Seu endereço de e-mail não será publicado.