Gestão de Pessoal: Confira dicas em como gerenciar conflitos na empresa

A gestão de pessoal ou gestão de pessoas é uma das áreas mais importantes de uma empresa, principalmente, por lidar diretamente com o capital humano e intelectual da empresa.

A empresa precisa identificar as oportunidades para manter seus colaboradores sempre incentivados, além de escolher os momentos certos para impulsionar o desempenho de suas equipes.

Outro fator importante para uma empresa é a capacidade de retenção de talentos para a corporação.

Dessa forma, uma boa análise sobre a formação de seus colaboradores aliada com melhores estratégias de gestão, a empresa conseguirá avaliar o desempenho de cada funcionário e colaborador, identificando pontos de melhoria e de excelência para otimizar os resultados da empresa.

Geralmente, investir em equipes é fundamental para fortalecer o potencial dos profissionais, permitindo que eles atuem com maior nível de satisfação e engajamento, podendo, dessa forma, gerar resultados mais elevados.

Além de oferecer cursos de reciclagem, palestras e até mesmo um ambiente de trabalho convidativo com salas de descanso, sala de jogos e local para interação, é importante que a corporação saiba implementar um bom projeto de gestão de recursos humanos integrado ao objetivo mercadológico da empresa.

Esse tipo de gestão é indispensável para fortalecer o crescimento do negócio de modo consistente.

O que é gestão de pessoas ou gestão pessoal?

Estamos falando de um processo que ajuda a administrar o capital humano da empresa. Abrange diferentes tipos de técnicas para as atividades de seleção, monitoramento e seleção de mão de obra.

Visa, por exemplo, conciliar as metas da empresa com os objetivos dos colaboradores em sua carreira. Assim, é possível equilibrar os sonhos dos colaboradores com as metas da corporação.

É importante que os gestores tenham ligação com as equipes e possam identificar os perfis que podem se adaptar à cultura focando no engajamento, criação de soluções, desenvolvimento de cultura organizacional positiva e, de modo oportuno, a motivação de todos.

Todas essas ações precisam estar alinhadas com o planejamento da empresa.

Os objetivos da gestão estratégica de pessoas

Esse tipo de gestão possui objetivos claros, dentre os quais podemos destacar o apoio para a organização alcançar as suas metas, equilibrando as ações de recursos humanos com as estratégias de negócios.

Deve propiciar a contribuição para a criação de uma cultura de alto desempenho na empresa. Gerar garantias para a empresa captar profissionais talentosos, com qualificação e engajados.

Saber produzir uma relação de emprego positivo, a gerência da empresa e a convivência entre os funcionários, o que permitirá construir um clima de confiança entre todos.

No processo de amadurecimento, a empresa precisa incentivar a escolha e aplicação de abordagem ética para o processo de gerenciamento de recursos humanos.

A importância das áreas de gestão de pessoas

Sabemos que o setor de recursos humanos pode ser subdividido para orientar e otimizar o trabalho de acompanhamento e suporte aos gestores.

Em muitos casos, é importante saber diferenciar as especialidades de cada profissional e distribuir as responsabilidades conforme a formação e a experiência de cada um.

Devemos enxergar que existem diferentes etapas entre a empresa e seus colaboradores, principalmente, quando se busca o engajamento em prol dos resultados.

Desde o processo de contratação até treinamento final, a empresa deve gerir bem o relacionamento com os seus potenciais colaboradores.

Em todos os processos de relacionamento com o capital humano, é importante que a empresa organize as áreas com funções distintas dentro da empresa, para que as equipes de trabalho e os gestores locais saibam desenvolver o melhor projeto possível.

Recrutamento e Seleção

O processo de recrutamento e seleção é parte desse tipo de gestão. É através dessa etapa que a empresa recebe o primeiro contato com o profissional.

Nessa primeira etapa, a equipe de recursos humanos deve receber os currículos, realizar o recrutamento e analisar os melhores perfis para a empresa ou área específica.

Porém, o processo seletivo pode passar por diferentes estágios de aprovação, dependendo da complexidade das atribuições do cargo. Em certos casos, há ocupações que exigem formação superior ou técnica e domínio sobre conhecimento específico para exercer determinada atividade.

Terceirização

Em certos casos, as empresas também podem terceirizar o setor de recursos humanos, porém o relacionamento com o funcionário dentro da empresa torna-se presente gerando a necessidade de criar uma política básica de gestão de pessoas. É importante ter atenção com esse detalhe para a gestão de pessoal.

Papel do líder nos conflitos

Muitas vezes, trabalhar com pessoas pode gerar diferentes tipos de conflitos de ordem profissional e até pessoal. A seguir detalhamos os tipos de conflitos que podem surgir e até prejudicar o desenvolvimento de projetos dentro de uma empresa.

A foto mostra o papel da liderança em conflitos

1 – Conflito pessoal – Esse tipo de conflito está ligado ao modo como a pessoa lida consigo mesma e com as demais no ambiente de trabalho. Pode abranger inquietações, ansiedades e más interpretações de ordem pessoal e coletiva, gerando uma distância entre o que ela diz e o que ela faz.

2 – Conflito interpessoal – Esse tipo de conflito interpessoal ocorre sempre entre indivíduos ou até mesmo entre mais de duas pessoas no ambiente de trabalho. Geralmente, esse tipo de conflito ocorre quando dois ou mais colaboradores compartilham de um mesmo desafio de modo diferente.

Muitas vezes, parte dos conflitos são causados por processos organizacionais, porém grande parte dos conflitos podem ter origem interpessoal, o que os torna mais difíceis de resolver. Nesses casos temos divergência numa mesma área ou desentendimentos entre setores diferentes da empresa.

3 – Conflito organizacional – Quando falamos em conflito organizacional, não estamos falando de princípios ou valores pessoais, mas de conflitos causados pelas dinâmicas organizacionais em constante mudança na cultura e no modo de fazer dentro de uma empresa.

4 – Conflito interno – Esse tipo de conflito, geralmente, acontece entre departamentos ou setores de negócios, sempre apresenta como raiz o conflito entre pessoas. Torna-se o conflito mais complexo, pois as partes que não se entendem estão trabalhando no mesmo lado do setor estratégico e a maior parte dos custos nem sempre é mensurável.

5 – Conflito externo – O externo é mais comum e mais fácil de ser identificado, podendo ter um custo mais fácil de ser observado e medido. No contexto do conflito externo, ele pode acontecer com outras empresas concorrentes, com os governos, organização social e indivíduos externos.

6 – Conflito percebido – Quando a situação é percebida ela se torna de pleno conhecimento de todos, nessa fase todos da equipe e da gestão percebem que o problema existe e que os objetivos diferem dos objetivos dos outros grupos envolvidos. Nessa situação, temos um conflito latente.

7 – Conflito experienciado – Nessa situação temos um problema que pode provocar hostilidade, raiva, medo e falta de confiança entre as partes.  Muitas vezes, pode ser considerado como um conflito velado, por não ser manifestado com clareza para todos.

8 – Conflito manifestado – Quando existem interferência ativa ou passiva temos um conflito expresso através de uma das partes interessadas no trabalho, esse tipo de conflito também é conhecido como conflito aberto, é quando o conflito é expresso por meio de comportamento de interferência ativa ou passiva, por ao menos uma das partes. É chamado conflito aberto.

A importância do líder na administração de conflitos

No contexto da gestão de pessoal, o líder deve equilibrar as relações e apaziguar suas equipes de trabalho. Se possível, a gestão deve antecipar ambientes e possíveis riscos de conflitos para evitar perdas na produtividade da empresa.

Porém, é compreensível entender que todo conflito é inevitável, por isso apresentamos dez dicas para ajudar a melhorar a gestão de pessoas na empresa.

As 10 dicas para gerenciar conflitos

A aplicação de práticas de gestão de pessoas visa garantir que a empresa possa equilibrar o relacionamento entre os colaboradores e manter a força de captação de talentos e de profissionais capacitados.

1 – Profissionalize o recrutamento e seleção

Muitas empresas erram ao selecionar novos profissionais de forma improvisada.

Lembramos que a gestão de pessoal deve iniciar com a análise sobre o processo de formação de equipes. Dessa forma, é importante ter atenção ao processo de formação de equipes através da profissionalização de processos de recrutamento e seleção.

Para isso, a corporação poderá precisar de conhecimento prévio e formação por parte de sua equipe de RH sabendo profissionalizar os processos de recrutamento e seleção por meio de assessorias especializadas.

Dessa forma, a empresa poderá avaliar de modo mais detalhado os candidatos e simplificando a seleção dos profissionais.

2 – Conheça a equipe

Um bom líder e gestor precisa também conhecer os membros da equipe, identificar os talentos, identificar os potenciais e suas limitações. Dessa forma, ao conhecer melhor os seus colaboradores, o gestor poderá orientar melhor a equipe e adotar treinamentos de modo oportuno.

Deste modo, a empresa constrói relação mais próxima entre o gestor e seus colaboradores.

3 – Delegando funções

Distribuir funções ajuda na gestão de pessoal e na otimização de resultados. A distribuição de funções deve obedecer ao nível de desempenho, experiência e de conhecimento de cada profissional.

Porém, a equipe gestora deve sempre acompanhar, orientar e dar suporte para seus funcionários e orientar as equipes de trabalho da melhor forma.

4 – Incentive a participação

Estimular a participação de todos é fundamental. Dessa forma, a direção e o setor de recurso humano favorecem um melhor ambiente de trabalho permitindo produzir ideias e melhores oportunidades para o negócio da empresa.

Em grande parte das empresas, é fundamental que os colaboradores possam dar sugestões para a melhoria dos projetos da empresa e para aprimorar os processos internos.

5 – Lidere

É importante que o gestor saiba liderar seus colaboradores e formar novos líderes. Dar o exemplo é fundamental, não adianta falar uma coisa e fazer outra.

O líder deve ser acessível e presente, principalmente, em situações de crise para passar segurança. É muito importante transmitir positividade e segurança para todos os colaboradores.

6 – Cuidado com o ambiente de trabalho

Sabemos que o local de trabalho pode gerar impactos na produção de todos. O gestor deve ajudar a eliminar conflitos, estimular geração de ideias e respeitar as diferenças.

7 – Investimento em treinamento

A preocupação com a gestão de pessoal incentiva também o investimento em treinamento para os profissionais, principalmente, quando determinada função precisa ser monitorada ou ainda não possui formação plena nas universidades e redes de ensino.

Dessa forma, ressaltamos que o conhecimento e o aprendizado são detalhes importantes na gestão de pessoas e para que sejam efetivos é preciso que o gestor conheça a real necessidade de treinar seu pessoal.

Na maioria dos casos, é possível aprimorar os colaboradores por meio de cursos e palestras.

8 – Confie no feedback

É essencial que todos os envolvidos se mantenham conectados e sempre informados sobre as ações gerais da empresa. Dessa forma, um setor pode dar respostas ou feedback para outros setores.

Através de diálogos estruturados e orientados, todos da empresa conseguirão se entender.

9 – Metas individuais e coletivas

A empresa pode adotar a política de metas para seus colaboradores atingirem individualmente ou coletivamente em cada equipe de trabalho.

10 – Comemore os resultados

No contexto da gestão de pessoal, a empresa sempre deve comemorar os resultados com todos e, em certos casos, oferecer bonificação para os colaboradores.

Esse tipo de gestão pode ser aplicada por meio de projetos e de estratégias alinhadas para fortalecer o negócio. A definição de metas, seleção de competências e a realização de reuniões pode sempre ajudar na composição das equipes.

Conclusão

Portanto, a seleção, identificação e retenção de talentos profissionais requer muita dedicação por parte das corporações.

Em muitos casos, as empresas podem buscar por novas tecnologias para otimizar processos, incluindo avaliações e políticas de aprendizagem para os setores estratégicos.

Ressaltamos que as empresas também precisam estar preparadas para lidar com as novas gerações que estão crescendo e formando novos valores e conceitos de relacionamento profissional.

Vale a pena investir em novas políticas e práticas de gestão de pessoal como forma de fortalecer a empresa e otimizá-la para atingir os melhores objetivos de mercado contando com profissionais capazes e que possam atuar em harmonia com a corporação.

Comente

Seu endereço de e-mail não será publicado.